fbpx
Escolha uma Página

Libido feminina: o que causa e o que pode ajudar

Muitas mulheres podem sentir uma queda do desejo sexual (ou queda da libido), o que pode se tornar um incômodo tanto para ela, quanto para o casal.

O primeiro passo é entender quais o que pode estar afetando sua libido. Os grandes inimigos da libido na mulher são: o anticoncepcional, o estresse e a queda hormonal que pode acontecer na menopausa e no puerpério.

O anticoncepcional já é marcadamente conhecido por esta alteração no desejo sexual. E isso acontece pois ao usar um anticoncepcional hormonal há um bloqueio na produção de testosterona, um dos hormônios envolvidos na libido. Em alguns tipos de contraceptivos também pode acontecer uma redução significativa nos níveis de estrógeno, outro hormônio envolvido na libido, que também pode gerar uma queda na lubrificação vaginal, o que dificulta a sensação de prazer durante o sexo.

Outra causa muito comum é o estresse. Quando altamente estressadas temos uma alteração na produção do cortisol (que fica muito alto na primeira fase do estresse e baixo na segunda fase do estresse) esta alteração pode afetar a produção natural dos seus hormônios, impactando na sua libido e no seu ciclo menstrual. Além do próprio processo de estarmos cansadas, sobrecarregadas e talvez muito metais, o que dificulta o relaxamento e a entrega necessários para a libido e o prazer .

A queda hormonal, que costuma acontecer na menopausa e no puerpério, se assemelha com a situação do uso do anticoncepcional. Com os hormônios baixos, não temos desejo sexual, não temos lubrificação e temos mais dificuldade de chegar ao orgasmo.

Veja este post para ter uma noção do seu nível hormonal sem exames

O processo de queda do puerpério é outro momento delicado, pois muitas vezes não tem a compreensão do parceiro. E mesmo a mulher, pode se sentir cobrada para “voltar ao que era antes” sendo que isso não existe. Jamais seremos as mesmas após o nascimento de um bebê.

O puerpério envolve a soma de todos os fatores: queda hormonal + estresse/cansaço/restrição de sono + nova relação com o corpo.

O retorno aos níveis hormonais após o parto vai variar de mulher para mulher. Mulheres que amamentam podem demorar mais para voltar a ovular e menstruar (um mecanismo muito inteligente do corpo de já auxiliar a prevenir outra gestação, em um momento em que ele ainda não está pronto para isso). A frequência da mamada também importa. Quanto mais sucções há ao longo do dia, maior a produção de prolactina, e provavelmente menores os níveis de estrógeno. Novamente, não há uma regra, cada mulher responde de uma forma ao processo da amamentação.

Então, o que pode ajudar? Vamos lá.

Os alimentos estudados para o aumento da libido feminina geralmente atuam nas vias do equilíbrio hormonal e no equilíbrio do cortisol. Lembrando que isso não é uma prescrição, alinhe com o profissional que te acompanha antes:

– Maca peruana – na forma de pó, de produtos embalados e confiáveis ( e não a granel). Consumir de 2-4 col de chá por dia.
– Tribulus terrestris – na forma de suplemento
– Ginkgo biloba- na forma de suplemento ou chá
– Panax ginseng – na forma de suplemento ou chá
– Feno grego – na forma de suplemento, chá ou tempero (1 col de café de 1-3x ao dia)
– Farinha de linhaça (= linhaça triturada): 1 col de sopa por dia para as mulheres em menopausa ou no puerpério pode auxiliar bastante a minimizar os efeitos da queda hormonal.

Para melhora da lubrificação vaginal, o que já é muito conhecido e usado é a vitamina E, pois aumenta a circulação para o útero e para a vagina.

Os alimentos mais ricos em vitamina E são o óleo de gérmen de trigo, óleo de girassol (prensado a frio e não esse tradicional do mercado) e óleo de gergelim.

Consuma de uma a duas colheres de sopa por dia como tempero. A suplementação com orientação profissional também pode ser feita, variando de 50-400 Ui/dia. Consuma por no mínimo 4 semanas para que sinta os resultados. O humulus lúpus e red chover também tem bons resultados para as mulheres em menopausa.


Vale lembrar que boas noites de sono, uma pausa nos trabalhos mentais, pedir ajuda, aprender a demandar, praticar mais atividades relaxantes, massagens, atividade física e movimentos pélvicos são outras estratégias interessantes de serem inseridas tanto para modulação hormonal quanto para irrigação sanguínea na área da pelve.

Me contem, você vai testar ou já utilizou alguma dessas plantas que indiquei com este objetivo? Conte pra gente como foram os resultados.

Formulário de inscrição da lista de espera

Obrigada por se inscrever

Quero receber meu ebook Boa Digestão

Quero receber meu ebook
Boa Digestão

Todo ritual de beleza e cura começa por uma boa limpeza do corpo.

Não estamos falando de sucos detox, mas da garantia de uma boa digestão! Independente do que está buscando, esse é o primeiro passo que precisa dar para regular sua saúde!

O Ebook foi enviado no email cadastrado

Preencha com seus dados para receber mais informações

As informações sobre agendamento foram enviados por email

Formulário para receber e-book grátis

Obrigada por se inscrever

Formulário de inscrição no aulão gratuito Saúde Mitocondrial

Obrigada por se inscrever

Formulário de inscrição da lista de espera

No momento não estamos com inscriçõs abertas. Deixe seu email que te avisamos assim que abrirmos.

Obrigada por se inscrever