Tratamento nutricional para Mioma

Quem tem mioma sabe, enquanto você não atua na causa, eles continuam brotando, por isso os procedimentos cirúrgicos, apesar de em alguns momentos serem necessários, não resolvem o problema como um todo.

A boa notícia é que o crescimento de miomas tem causas que podem ser reguladas com nutrição adequada. Aqui vamos além de ter uma alimentação saudável, mas focar em na nutrição que faz uma regulação hormonal, atuando em fatores como:

  • Redução dos níveis de estrógeno e xenoestrógenos circulantes;
  • Direcionamento do estrógeno para vias menos inflamatórias e adequada detoxificação;
  • Equilíbrio dos níveis de glicemia e insulina;
  • Atuar em fatores que reduzem a angiogênese e a estagnação de sangue, afinal os miomas são como uma bolota de sangue, e podemos atuar com nutrientes que evitam essa formação do sangue parado.

Ainda assim, você pode se questionar como fazer essa regulação. Levantei algumas evidências científicas publicadas em periódicos de saúde para te orientar.

Consumo de álcool

Um estudo longitudinal mostrou um aumento do risco de miomas em mulheres que consomem álcool, especialmente cerveja. O consumo de mais de 7 doses por semana (1 dose = 300ml) foi altamente correlacionado com formação de miomas uterinos (BAIRD et al., 2009).

Predominância estrogênica

A predominância estrogênica favorece a formação de miomas (em outro artigo escrevi mais sobre esse tema). Os miomas são responsivos a hormônios como o estrógeno e insulina. Ou seja, quanto mais estrógeno você tem circulante no seu corpo, mais ele estimulará o crescimento deste tecido.

O estrógeno pode estar alto devido a baixa capacidade de detoxificação, recirculação intestinal e contaminantes ambientais (DALTON-BREWER, 2016).

Café

O consumo excessivo de cafeína parece encurtar a fase folicular, ou seja, logo depois da menstruação você já observa muco cervical e tem uma ovulação, o que traduz o que falamos acima sobre predominância estrogênica.

O café também pode estimular o aumento de prolactina (via ativação do eixo do estresse HPA). Ambos os fatores: aumento de estrógeno e aumento de prolactina são desfavoráveis para miomas (A.WISE et al., 2004).

Alimentos

O consumo de frutas cítricas, adequado consumo de vitamina A, chá verde e baixo consumo de carne vermelha parecem ser protetivos (e eventualmente favorecer a redução) de miomas (DALTON-BREWER, 2016).

Glicemia

Alterações na glicemia, com picos frequentes de insulina estimulam o crescimento de todo tipo de tecido, e não seria diferente com miomas (DALTON-BREWER, 2016).

 

De maneira simplificada, lembre-se que os miomas são um quadro de sangue parado. Meu olhar é movimentar este sangue, e reduzir os estímulos de seu crescimento.

 

Os resultados são sempre melhores quando associamos medidas conjuntas para a modulação hormonal.

O equilíbrio dos hormônios femininos depende muito de hábitos saudáveis de alimentação, equilíbrio de detoxificação, do sistema digestivo e intestino, modulação do estresse e do metabolismo do açúcar. Atuar em um deles ajuda, mas em todos eles ajuda muito e acelera a recuperação.

Caso queira se conhecer de forma mais profunda e fazer um tratamento mais completo, te convido para conhecer meu programa online – Ciclo das mulheres.

REFERÊNCIAS

 

A.WISE, L. et al. Risk of uterine leiomyomata in relation to tobacco, alcohol and caffeine consumption in the Black Women’s Health Study. Human reproduction (Oxford, England), v. 19, n. 8, p. 1746–1754, ago. 2004.

 

BAIRD, D. D. et al. Uterine Leiomyomata in Relation to Insulin-Like Growth Factor-I, Insulin, and Diabetes. Epidemiology (Cambridge, Mass.), v. 20, n. 4, p. 604–610, jul. 2009.

 

DALTON-BREWER, N. The Role of Complementary and Alternative Medicine for the Management of Fibroids and Associated Symptomatology. Current Obstetrics and Gynecology Reports, v. 5, p. 110–118, 2016.

 

KUMARI, R. et al. Association between serum vitamin D level and uterine fibroid in premenopausal women in Indian population. Drug Discoveries & Therapeutics, v. 16, n. 1, p. 8–13, 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *