logoPNG

Oráculo de Sintomas

Parte I - Deficiência de nutrientes

Com base nas suas respostas o Oráculo fez uma análise de possíveis deficiências nutricionais mencionadas abaixo

Zinco

As suas respostas apontam para uma possível deficiência de zinco.

Sintomas como: acne, pontinhos brancos nas unhas, pele amarelada, tendência a estria e dificuldade de digerir proteínas animais podem indicar a deficiência desse mineral.

Ação recomendada:

Comece verificando seus níveis de zinco através de exames laboratoriais conforme orientação no material de Idealidade de exames, disponível no módulo 1. 

Também comece a aumentar as fontes alimentares. As principais são: ostras, semente de abóbora sem casca, carne bovina ou de frango.

Ao longo do método vamos trabalhar na melhora da sua digestão, o que também pode favorecer a absorção deste mineral. Em alguns casos a suplementação de zinco quelado pode ser interessante, mediante orientação de uma nutricionista.

O zinco é um mineral importante para o funcionamento adequado do sistema imunológico, produção hormonal, ovulação e manutenção do corpo lúteo, ação adequada da insulina, formação de células vermelhas, cicatrização e produção de proteínas no nosso corpo (enzimas, unhas, cabelo, pele). ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Ferro

As suas respostas apontam para sintomas de uma possível deficiência de ferro.

Sintomas como tontura ao se levantar, má circulação, palidez (pele, lábios, olhos, unhas), olheiras, fluxo intenso constante (acima de 80ml) e cansaço fácil podem indicar a deficiência desse mineral.

Ação recomendada:

Comece verificando esses exames laboratoriais conforme orientação no material de Idealidade de exames: Ferro sérico, Ferritina, Saturação de transferrina (se abaixo do indicado, indica deficiência) e hemograma completo).

Alimentos com boa concentração de ferro são: spirulina, fígado bovino ou de frango (orgânico), carnes vermelhas, tahine, folha de cenoura e castanha de caju. 

Vale lembrar que alimentos vegetais precisam estar associados com fontes de vitamina C na mesma refeição para otimizar a absorção do ferro (ex. limão, acerola, salsinha e laranja) e longe do consumo de alimentos concentrados em cálcio.

No caso de deficiências, já com exames de  ferro e ferritina com valores abaixo do ideal, a suplementação via oral (na forma de ferro quelado ou glicina) ou mesmo a reposição endovenosa são necessárias. Somente o aumento do consumo de alimentos fontes pode demorar muito tempo ou ser insuficiente para adequação deste mineral. 

Vale lembrar que as causas bases (perda intensa de sangue ou disbiose intestinal) precisam ser olhadas e serão abordadas ao longo do método Ciclos da Mulher.

O ferro é um mineral importante para a imunidade e oxigenação do corpo como um todo, principalmente órgãos delicados como cérebro e corpo lúteo. Também garante uma adequada detoxificação e bom funcionamento da tireóide. É necessário para a síntese de colágeno e para a formação de neurotransmissores como serotonina e dopamina.

As mulheres, por menstruarem, precisam consumir o dobro de ferro que os homens. Fluxos intensos aumentam ainda mais esta demanda, levando a uma maior necessidade de reposição. 

Questões digestivas, como baixa acidez estomacal, uso de antiácidos e baixa absorção no intestino por diferentes causas (parasitas, fungos, alterações na mucosa), também podem impactar na baixa absorção de ferro.

Magnésio

Você possivelmente tem deficiência de magnésio devido a sintomas ou hábitos que assinalou.

Sintomas como tremor das pálpebras, insônia, tensão, irritabilidade e ansiedade que piora no período pré menstrual e exposição a toxinas ambientais podem indicar ou causar a deficiência desse mineral. 

Ação recomendada:

Considere usar um suplemento de magnésio (na forma glicina, quelado ou inositol) além de aumentar o consumo de alimentos ricos em magnésio, como cacau em pó, aveia, folhas verde escuras, semente de abóbora, amêndoas. Durante o reset vocês terão uma orientação sobre suplementação de magnésio.

A análise dos níveis de magnésio no sangue não é um bom marcador de sua adequação. Por exemplo, um valor mais alto pode vir a ser uma deficiência de magnésio, que precisou sair dos ossos para adequar uma deficiência no corpo. 

Podem ser medidos valores de magnésio eritocitário (dentro da hemácia), e neste caso, tenha como foco alcançar valores do meio para cima de referência do exame. 

Nosso solo, infelizmente está mais pobre em magnésio, também impactando na sua presença nos alimentos.

Calcio

Você possivelmente tem deficiência de cálcio devido a sintomas ou hábitos que assinalou.

Na sua deficiência podem acontecer sintomas como: câimbras, formigamento ou adormecimento dos membros, unhas moles, vontade por coisas gordurosas, afeto negativo (raiva, culpa, medo) no período pré menstrual, agitação ou perda óssea.

Ação recomendada:

Comece verificando os exames laboratoriais a seguir e veja se os níveis estão de acordo com a orientação no material de Idealidade de exames: vitamina D, PTH e cálcio urinário de 24h. 

Caso a vitamina D esteja baixa, ela é a primeira a ser ajustada para garantir bons níveis de cálcio.

O cálcio é um mineral que atua nos nossos neurotransmissores, no bom funcionamento da insulina, na formação hormonal e na adequada contração muscular além da saúde óssea.

O estresse crônico, alto consumo de fibras, baixo consumo de alimentos fontes de cálcio, falta de vitamina D ou magnésio, uso de antiácidos/diuréticos ou corticóides ou perda de gordura pelas fezes são fatores que podem levar a deficiência de cálcio.

Iodo

Você possivelmente tem deficiência de iodo devido a sintomas ou hábitos que assinalou.

Na sua deficiência podem acontecer sintomas como inchaço nas mãos ao caminhar, dificuldade em suar mesmo com esforço físico, dor nos seios no período pré menstrual podem indicar ou causar a deficiência desse mineral.

Ação recomendada:

Comece verificando seus níveis de iodo urinário conforme orientação no material de Idealidade de exame.

O iodo é importante para o metabolismo e detoxificação saudável do estrógeno e também deixa as células menos sensíveis ao estrógeno , por isso é tão importante para saúde do útero, ovários e seios – tecidos com bastante receptores de estrógeno. 

Alimentos como o sal iodado, alga kelp e kombu, peixes marinhos, ovo são fonte de iodo.

Além de incluir alimentos fontes, verifique se não está consumindo de forma excessiva alimentos que reduzem o iodo do nosso corpo como derivados de soja, e vegetais do grupo das brássicas de forma crua (couve, brócolis, couve flor, rabanete) e contato frequente com água clorada (piscina ou para higienizar alimentos).  Você não precisa parar de consumir estes alimentos, mas ajustar a dose, forma de preparo e aumentar o consumo de fontes de iodo.

A suplementação de iodo pode ser considerada junto de um nutricionista, mas vale o cuidado com altas doses, o excesso de iodo também é prejudicial.

 

O iodo é importante para o metabolismo e detoxificação saudável do estrógeno e também deixa as células menos sensíveis ao estrógeno , por isso é tão importante para saúde do útero, ovários e seios – tecidos com bastante receptores de estrógeno. 

 

Alimentos como o sal iodado, alga kelp e kombu, peixes marinhos, ovo são fonte de iodo.

Complexo B

Você possivelmente tem deficiência de vitaminas do complexo B devido a sintomas ou hábitos que assinalou.

Na deficiência da vitamina B6 é comum termos sintomas como tensão pré-menstrual com alteração de humor e sintomas depressivos, transtorno disfórico pré menstrual,  gotejamento pré menstrual ou fase lútea curta e sensação de choque elétrico.

Na deficiência da vitamina B12 é comum termos sintomas como esquecimentos, cansaço, fácil aparecimento de hematomas, língua avermelhada e dolorida ou anemia sem deficiência de ferro.

Na deficiência do conjunto de vitaminas do complexo B podemos ter piora do quadro de enxaqueca, fadiga, alterações do sono, cantos da boca doloridos, anemia  e alterações no metabolismo como um todo.

Ação recomendada:

Comece verificando seus exames laboratoriais conforme orientação no material de Idealidade de exames: Homocisteína, B12, VCM (dentro do painel de células vermelhas do hemograma e se estiver acima do valor indicado relacionado com deficiência de vitaminas do complexo B). 

No caso dos sintomas de deficiência da vitamina B6 vale considerar o aumento dos alimentos fontes (farelo de arroz, fígado de galinha ou bovino orgânicos , semente de girassol) assim como suplementação (podendo chegar até 50mg com orientação de uma nutricionista).

No caso de deficiência da vitamina B12, vale considerar o aumento dos alimentos fontes (fígado de galinha ou bovino orgânicos, sardinha fresca) ou a suplementação sublingual ou via oral, sob orientação de uma nutricionista. 

Para todas as outras vitaminas do complexo B as melhores fontes alimentares seriam: farelo de arroz (preferencialmente orgânico), fígado de galinha ou bovino orgânicos, sardinha fresca e semente de girassol. Os suplementos são bem vindos e você terá maiores orientações no reset, reforçando a importância do metilfolato (forma ativa do ácido fólico) para o adequado metabolismo do estrógeno e pré-concepção (doses de pelo menos 600mcg por dia).

As vitaminas do complexo B são como o combustível de todas as células. Essas vitaminas são envolvidas em muitos processos do nosso corpo, por isso a sua deficiência tem impacto em diferentes sistemas.

O consumo excessivo de café, álcool, anticoncepcional, antibióticos, antiácidos e diuréticos pode levar a maior eliminação das vitaminas do complexo B.

Vitamina C

Você possivelmente tem deficiência de vitamina C devido a sintomas ou hábitos que assinalou.

Sintomas como sangramento das gengivas, fácil aparecimento de hematomas, vasinhos aparentes, muitas alergias, estresse ou vôos constantes podem indicar ou causar a deficiência desta vitamina.

Ação recomendada:

Aumente o consumo de alimentos ricos em vitamina C, consumindo de duas a três vezes ao longo do dia. As melhores fontes são: acerola (fresca ou polpa), caju (fresco ou polpa), goiaba, camu camu (fresco ou liofilizado), limão, laranja, morango orgânico, kiwi, salsinha.

Cerca de 90% da vitamina C é usada por nossas adrenais, por isso é muito necessária para a produção de cortisol e muito utilizada em situações de estresse. Também é essencial para boa manutenção do corpo lúteo, atuando em uma boa fase lútea e preservação da progesterona, assim como a presença de sintomas pré menstruais.

Potássio

Você possivelmente tem deficiência de potássio devido a sintomas ou hábitos que assinalou.

Na sua deficiência podem acontecer sintomas como retenção de líquido no período pré menstrual, sede constante, cãibras. e pressão baixa. Sua deficiência também pode contribuir para piora de cólica menstrual e intestino preso. O estresse crônico, assim como o excesso de sal podem aumentar a eliminação do potássio do corpo.

Ação recomendada:

Comece aumentando seu consumo de alimentos ricos em potássio como melão, abacate, água de coco, batatas e banana. Inclua pelo menos dois destes alimentos por dia. 

O potássio é um mineral fundamental para equilibrar a acidez do sangue. Seu consumo adequado diminui a eliminação de cálcio pelo corpo, garante a entrada de energia nas células, saúde da tireóide e adequada contração muscular e transmissão nervosa.

Sem deficiências significativas

Mesmo que você tenha assinalado sintomas, eles não parecem ser representativos para indicar uma deficiência nutricional. 

Fique atenta a seu corpo e continue preenchendo as outras etapas do Oráculo de Sintomas.



LOGO-14

Copyright © PMR Digital. - Todos os direitos reservados